PT  |  EN

«Caça ao Crocodilo»

Quase metade dos restos de pneus (“crocodilos”) nas autoestradas portuguesas provém de pneus novos, refere um estudo recente do Departamento de Engenharia de Polímeros da Universidade do Minho e da Associação Nacional dos Industriais de Recauchutagem de Pneus (ANIRP).
O projecto “Caça ao Crocodilo” visou identificar ao longo de um semestre as causas das falhas dos pneus e contribuir para uma maior segurança rodoviária. Foram recolhidos e exaustivamente analisados todos os “crocodilos” encontrados nas autoestradas das concessionárias aderentes ao projecto, num total de mais de mil exemplares destruídos.
Verificou-se que 55% provinham de pneus recauchutados e 45% de pneus novos. Apurou-se também que em oito porcento das situações havia um desgaste excessivo do pneu e em 98% dos casos o rebentamento do pneumático não se deveu ao processo de recauchutagem.

Recauchutados 30% mais baratos
“Há que desmistificar a ideia de que os pneus rebentados têm sobretudo origem nos pneus recauchutados. A recauchutagem é económica e ambientalmente correcta, basta ver que todos os aviões usam pneus destes”, diz o líder da ANIRP. José Gomes anui que esta é uma boa alternativa face a pneus usados importados.
A ANIRP concluiu ainda que os pneus recauchutados custam em média menos 30% do que os tradicionais, podendo nalguns casos chegar aos 57%.
 

Fonte: www.cienciahoje.pt